Dispositivo Intra-uterino

 

 

    O DIU é um pequeno dispositivo de plástico revestido com fio de cobre que é inserido no útero. O DIU impede a gravidez através da alteração das condições uterinas e funcionando também como uma barreira aos espermatozóides. A inserção é feita numa consulta médica, podendo permanecer no útero durante vários anos. Existem dispositivos intra-uterinos com, e sem, hormonas.

O DIU está indicado para quem:

  • Pretende um método de longa duração e facilmente reversível

  • Tem um relacionamento estável e não há risco de relações com outros parceiros

  • Para quem tolera alterações na menstruação, nomeadamente fluxos menstruais mais abundantes e prolongados

  • Se esquece de tomar a pílula frequentemente

  • Para mulheres fumadoras com mais de 35 anos

 

 

O mecanismo de acção dos DIU’s é múltiplo:

 

1 - acção anti-nidatória - impedem a fixação do óvulo fecundado na parede uterina. Têm este efeito por provocarem alterações no endométrio e por constituírem um "corpo estranho" na cavidade uterina;

 

2 - alteração das trompas: modificação da sua contractilidade que leva a uma diminuição da propagação do óvulo e dos espermatozóides dificultando deste modo, a fecundação;

 

3 - alterações pouco significativas do muco cervical;

 

4 - pensa-se que os DIU com cobre poderão ainda alterar os espermatozóides e o óvulo, tornando-os impróprios para a fecundação.

 

 

Eficácia:

 

99,9%

 

 

Precauções:

 

 após a colocação do DIU, a mulher deve ser consultada regularmente (mais ou menos de 6 em 6 meses), fora do período menstrual;

 caso lhe sejam prescritos medicamentos, deve perguntar ao seu médico, se não interferem com a acção do DIU, pois em caso afirmativo deve usar outro método como protecção suplementar;

 se a mulher deseja engravidar é aconselhável retirá-lo 2 a 3 meses antes, porque este é o tempo que o endométrio precisa para estar apto para uma gravidez;

 deve dirigir-se ao médico nos seguintes casos:
- dores fortes na região abdominal
- perda de sangue anormal ou excessiva
- ausência de um período menstrual (hipótese de gravidez)

 

 

Vantagens:

 

 

 Requer um único acto de motivação para uma duração prolongada.

 Não tem efeitos sistémicos

 Rápido retorno aos níveis anteriores de fertilidade após remoção

 Não exige um controlo diário por parte da mulher

 Pode ser usado durante a amamentação

 Grande eficácia

 Não interfere na vida sexual da mulher

 

 

Desvantagens:

 

 Para além de poder aumentar as dores durante o período menstrual e aumentar o seu fluxo, o DIU não protege das infecções sexualmente transmissíveis.

 É preciso intervenção médica para a colocação e remoção

 Pode ser rejeitado pelo útero;

 Não deve ser usado por grávidas

 Pode ter efeitos colaterais, tais como: um maior sangramento durante o período; anemia; cólicas; inflamações de vários tipos como no útero, nos ovários e nas trompas , podendo estas provocar esterilidade.